OBSERVE!
24 de março de 2013
COM QUE ROUPA EU VOU?
24 de março de 2013

Em 2013, dos países do bloco conhecido como BRICS, apenas a China tem peso econômico para impulsionar a economia mundial.  Os outros quatros (Brasil, Rússia, Índia e South Africa) têm vários desafios pela frente, passando por inflação, falta de investimentos estrangeiros e agitações trabalhistas.

Analistas dos países Brics dizem que eles agem tanto como concorrentes quanto aliados, e que essa falta de coesão é um de seus problemas. A concorrência entre eles assusta: a China reclama que os outros países estão atacando-a cada vez mais com processos judiciais contra dumping. O Brasil é contra as restrições de Moscou às importações agrícolas. A Rússia está tentando se tornar uma exportadora agrícola de peso, o que deve aumentar sua concorrência com o Brasil. E um crescimento mais lento na China e na Índia empurra os preços das commodities para baixo, prejudicando a África do Sul e a Rússia.

Numa tentativa de dar mais coesão e direção econômica ao grupo, os países Brics propuseram a criação de um banco de desenvolvimento para o bloco, mas a iniciativa acabou ressaltando as divisões entre eles.  Os recursos do banco seriam reservados para os países membros, financiando inclusive projetos de infraestrutura e engenharia. Mas os outros países têm planos diferentes para o banco. A África do Sul quer disponibilizar os fundos para países em desenvolvimento. Já a Índia, que propôs a criação do banco, gosta da ideia de financiar a infraestrutura, mas teme que China vá querer usar o banco principalmente para emprestar em yuans e assim aumentar a circulação internacional da sua moeda.  Até a localização o banco se tornou também uma batalha.