MARKETING DE INFLUÊNCIA – RECONSTRUIR A CONFIANÇA

SE O MARKETING FOSSE UMA MARCA, VOCÊ ACIONARIA O CMO?
2 de abril de 2019
PESQUISA COM EYE-TRACKING TRAZ INSIGHTS SOBRE O TEMPO DE INFLUÊNCIA DOS ANÚNCIOS DA PUBLICIDADE EM VÍDEO
2 de abril de 2019

MARKETING DE INFLUÊNCIA – RECONSTRUIR A CONFIANÇA

O marketing de influência esteve firmemente sob atenção em 2018, por conta da fraude dos influenciadores, seguidores falsos e nível de transparência sendo examinados como nunca antes.

Embora a maioria dos profissionais de marketing planeje aumentar os gastos com marketing de influência, há preocupações crescentes sobre a prática e muitos na indústria argumentam que ela precisa de regulamentações mais rigorosas e uma faxina completa.

No Cannes Lions, Keith Weed, diretor de marketing e comunicações da Unilever, sublinhou a importância da confiança e disse que, embora ele veja valor no conteúdo que os influenciadores podem criar, “o mercado fica minado se as pessoas não confiam na quantidade de seguidores que alguém tem”.

Ele afirmou que a Unilever se recusará a trabalhar com influenciadores que compram seguidores e priorizará parceiros que aumentam a transparência e podem ajudar a erradicar práticas ruins.

Então, em agosto do ano passado, a Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA) lançou uma investigação para medir a transparência dos influenciadores e o quanto eles estão realmente sendo ao se referir aos posts patrocinados. Ele disse que havia exemplos claros de influenciadores que não declararam ter sido pagos para promover um produto ou serviço – e vários influenciadores já foram penalizados pela Advertising Standards Authority (ASA) exatamente por isso.

Tanto a ASA como a ISBA apoiaram a investigação da CMA e destacaram que esta é uma questão cada vez mais importante.

Em setembro, a ASA e os Comitês de Prática Publicitária (CAP) lançaram um novo conjunto de princípios sobre divulgação de publicidade chamado ‘The Influencer’s Guide’ – que alguns argumentam ainda não ter ido longe o suficiente – enquanto a ISBA divulgou uma versão atualizada de contratos de marketing de influência que procura trazer uma melhor “disciplina comercial” no relacionamento entre marcas e influenciadores.

Há claramente muito trabalho a ser feito para ajudar a regulamentar a indústria e eliminar a atividade fraudulenta, o que lhe dá uma má reputação. Considerando que os orçamentos para o marketing de influenciadores estão apenas começando a subir, esperamos que 2019 seja um ponto de virada para a indústria garantindo que ela se livre de seu passado obscuro e evolua para um método de marketing mais confiável.

Fonte: (Dezembro/2018, texto traduzido “2018 year in review: It’s been a bad year for…”