TOPOLOGIA DE IDEIAS
10 de março de 2014
AVANÇO INEVITÁVEL
10 de março de 2014

As novas tecnologias, assim como mudanças no comportamento dos consumidores, estão tornando as experiências de compra cada vez mais personalizadas, tornando o território do marketing cada vez mais desafiador.

Segundo os especialistas Peter Dalhström e David Edelman (McKinsey), com a capacidade digital se ampliando, as demandas dos consumidores aumentarão em quatro frentes em 2020: “Agora” – com os consumidores interagindo em qualquer lugar (como por exemplo, o uso da tecnologia NFC – Near Field Communication – em rótulos. Uma cervejaria europeia realizou testes de rótulos usando a NFC, onde os consumidores, quando eles aproximam o celular de seus rótulos, a história da cerveja, os bares em que ela é servida, as promoções e a lista de amigos que já curtiram a bebida); “Eu posso” – onde eles farão coisas novas com todo tipo de informação que lhe agreguem valor (um aplicativo de busca de imóveis de um banco na Austrália, junta diferentes fontes de informação a partir de uma foto do imóvel desejado, e traz preço e impostos e em seguida, acessa os dados financeiros do potencial comprador e analise se ele teria acesso a financiamento); “Para mim” – eles vão esperar que todos os dados armazenados sobre eles sejam voltados para suas necessidades ou usados para personalizar suas experiências (o uso de câmeras e teclas de toque têm ampliado a sensação de personalização de compra, onde a partir de uma foto o consumidor “veste” as opções de óculos e roupas); “Simples”, pela simplicidade das operações que facilite a vida do consumidor (a Amazon criou um modelo de compras para itens de grande volume que se repetem regularmente, como fraldas – os pais agradecem).

O retrato desse novo mundo nos aponta que as experiências dos consumidores com marcas e produtos, que terminam dois terços das decisões que os clientes tomam (aos preços cabe um terço), serão intensas e definidoras.

Fonte: Valor Econômico, Mente&Cérebro, Exame e Dinheiro