MÍDIA E VAREJOS JUNTOS
22 de outubro de 2010
EM BUSCA DE UMA LIDERANÇA NA ECONOMIA DIGITAL
22 de outubro de 2010

A influência crescente das audiências internacionais é um divisor de águas para Hollywood. Hoje, as vendas de ingressos fora dos Estados Unidos chega a 68% do mercado global de cinema, que movimenta cerca de US$  32 bilhões. Há dez anos, era de 58%. Com isso, um dos produtos mais “americanos” está sendo repensado para atender a demanda mundial, escalando atores estrangeiros, reescrevendo roteiros, e mudando as piadas, já que o público não gosta muitos das americanas.

O aumento das bilheterias internacionais tem tanto a ver com a mudança da economia global quanto com a evolução do negócio do cinema. Por anos, os ganhos de Hollywood foram sustentados pelas vendas de DVD. Porém, com a crise, houve redução de 20%. Além disso, a Ásia e o Leste Europeu ganharam muitas salas de cinema multiplex. Somente o governo chinês deve aprovar mais 35 mil telas de cinema nos próximos cinco anos. E as mudanças têm estimulado a produção local e filmes nacionais entraram de vez na competição com os americanos. Na Coréia, a venda de ingressos para filmes coreanos chega a 50% do total.

Para conter o avanço, a Fox criou uma nova divisão para desenvolver, produzir e distribuir filmes em língua local para esses países, onde já tem 15 produções em andamento. A Universal passou a avaliar os roteiros mais cedo para torna-los mais internacionais.

Como diz o diretor, McKay: “em vez de tentar seduzir a audiência para seu filme, ajuste o filme à audiência”.