DIÁLOGO QUE PODE VIR MONÓLOGO
5 de abril de 2012
NEM TÃO BLINDADO ASSIM
5 de abril de 2012

 

Mondelez International, o novo nome divulgado pela Kraft Foods, para sua divisão global de alimentos.  A nova nomenclatura é uma referência a “mundo delicioso”, porém tem intrigado especialistas da área.

Criar nomes para produtos ou marcas pode parecer simples, mas na prática pode ser bem
 mais complicado, porque as empresas costumam tentar adotar nomes peculiares já que palavras comuns muitas vezes já têm marcas registradas. No caso da Kraft, a empresa pediu sugestões de funcionários em todo mundo e recebeu mais de mil opções. Depois de pesquisa com grupos em 28 idiomas, usou a ideia de dois funcionários. A aprovação definitiva será em maio. 

Se os nomes não forem exaustivamente testados mundialmente, as companhias podem se meter em apuros, como aconteceu com a General Motors na década de 80. A montadora teve problemas com seu modelo de carro Beretta, mesmo nome da fabricante italiana de armas Beretta SpA. Outro tipo comum de problema é quando o nome ganha uma associação diferente do que as empresas querem passar. A Umbro, por exemplo, mudou o nome do tênis Zyklon depois que grupos judaicos informaram que se tratava de um gás letal utilizado pelos nazistas.  A Reebok também teve uma experiência mal-sucedida, no final dos anos 90, criou um tênis de corrida para mulheres com o nome Incubus. O significado do nome, segundo a crença popular, era um espírito místico que surge à noite e
que violentava mulheres enquanto dormiam. A empresa rebatizou o tênis. 

Erros dessa natureza mostram que criar um nome requer
uma ampla pesquisa.