COPA PARA TODOS!
7 de agosto de 2013
O LADO PINÓQUIO
7 de agosto de 2013

O que o programa de televisão The Voice e o Super Bowl têm em comum? Ambos proporcionaram interação direta entre telespectadores e as redes sociais. Essa integração da TV com as redes sociais, chamada de TV Social, pode gerar negócios promissores. É a avaliação de Shawndra Hill, professora de gestão de operações e de informações da Wharton School, que vem estudando o comportamento de telespectadores e suas respostas nas redes sociais, com o objetivo de criar experiências mais marcantes. “As pessoas gostam de falar sobre televisão. O desafio é: como as emissoras e os anunciantes podem usar esse fato para tornar a experiência mais marcante?”, indaga a professora.

No The Voice, por exemplo, comentários com a hashtag thevoice eram reproduzidos na parte inferior da tela de transmissão, e o programa ainda contava com uma sala de mídia social, onde um apresentador fazia um balanço do que era dito nas redes. Já com o Super Bowl, foram estudados comentários dos usuários sobre as marcas anunciantes, além de interação nos intervalos da transmissão.

Hill aponta ainda que a inclusão de algum tipo de conteúdo de mídia social, especificamente jogos sociais, gera mais repercussão ou um número maior de tuitadas, cita a campanha da Chevy antes do Super Bowl, onde convida as pessoas a criar um comercial para ela. Outro exemplo, foi a Coca-Cola, resgatou os conhecidos ursos-polares em comerciais que mudavam de acordo com o que acontecia na partida em ternpo real.

A compreensão da interação entre as mídias pode ajudar as emissoras a ajustar a programação e os anunciantes a investir com mais eficácia. já que a incorporação da mídia social gera um envolvimento maior e mais consistente.