SABENDO ENVELHECER
13 de abril de 2011
APRENDENDO A DIALOGAR
13 de abril de 2011

Apesar do comércio eletrônico já ser realidade consolidada no varejo, ainda há potencial de crescimento. No Brasil, o comércio online representa apenas 2% das vendas, que representaram R$ 15 bilhões em 2010. De acordo com projeções, o país tem hoje cerca de 23 milhões de compradores virtuais e, segundo Alexandre Umberti, diretor de marketing da e-bit, as vendas devem chegar a R$ 20 bilhões esse ano.

Enquanto as vendas em lojas físicas crescem a uma média de 13%, na internet a taxa é de 40%. “O e-commerce deve crescer mais rápido que o PIB nos próximos cinco anos, a taxas de dois dígitos”, explica Umberti. Algumas previsões apontam que o volume gerado pode ultrapassar o das lojas físicas em 2015.  Os sites de compras coletivas mostram que há possibilidade de integração entre o virtual e o físico. Com poucas barreiras de entrada e um investimento pequeno, os sites viraram febre no Brasil, que já tem 1064 endereços do gênero. Mas, seja qual for o tipo de varejo, a tendência mais forte aponta para a tela do celular.