ALTERIDADE
21 de julho de 2011
CONSUMO CULTURAL
21 de julho de 2011

Em 1993, o americano Robin Lawton afirmou que as empresas deveriam adotar a ótica do cliente. Com isso, surgiram estratégias bem sucedidas. A primeira delas é a troca de informações, pois não podemos ter o foco do cliente sem uma boa comunicação interna na empresa. A P&G, por exemplo, criou plataformas digitais para que seus projetos de pesquisa e desenvolvimento irrigassem toda a empresa. Isso ajudou a criação de produtos mais ligados às necessidades do cliente.

Já a rede de eletrônicos Best Buy investiu na mudança física das lojas e cultural dos atendentes, para enfrentar a crescente onda dos sites de compras online. Ao descobrir que 55% da clientela era feminina, com hábitos de consumo diferentes e que fazem a compra por clusters, redesenhou as lojas. Os corredores foram abolidos e produtos relacionados foram colocados próximos, além de criar playgrounds para que as mães deixem os filhos. A rede Starbucks, com o programa My Starbucks Idea – projeto conjunto de inovação da rede de cafés com seus clientes- recebeu mais de 70 mil sugestões em seu primeiro ano (2008-2009).