TRANSMÍDIA
21 de junho de 2010
UNIDOS VENCEREMOS?
21 de junho de 2010

      Pastores de Igrejas Evangélicas estão perdendo o emprego por conta da recessão dos fiéis. Embora a economia dos Estados Unidos esteja se recuperando da crise mundial, as doações para a igreja caíram drasticamente. Em 2009, o governo contabilizou mais de 5 mil religiosos procurando empregos, contra 3 mil em 2007 e 2 mil em 2005. O índice oficial de desemprego do clero nos Estados Unidos é de 1,2% bem menor do que a média nacional. Porém, muitas igrejas não contribuem com os fundos de seguro-desemprego e benefícios.

      Quase 30% dos fiéis disseram que reduziram o dízimo desde novembro de 2009, segundo pesquisa da Barna Group. Algumas lideranças religiosas temem que as doações não voltem ao nível de antes da recessão. Pesquisas descobriram que as doações começaram a cair em novembro de 2008, quando o desemprego estava em 6,7%. Cada demissão de um pastor gera impacto emocional negativo nas congregações. Para conseguir um emprego, os sarcerdotes precisam de uma lista extensa de qualificações, até mais específicas que o setor privado. Para ser pastor na Flórida, por exemplo, é preciso ter entre 30 e 49 anos e ser casado.